| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Folha do Delegado
Desde: 12/01/2011      Publicadas: 2101      Atualização: 14/12/2013

Capa |  ARQUIVO POLICIAL  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CASOS POLICIAIS MISTERIOSOS  |  CRIMINOSOS CRUEIS  |  DESTAQUES  |  DIREITO & JUSTIÇA  |  LIÇÕES DE VIDA  |  MEUS ARTIGOS


 ARQUIVO POLICIAL

  17/02/2011
  0 comentário(s)


Eugênio Chipkevitch

Eugênio Chipkevitch (?, Ucrânia, 26 de abril de 1954) é um ex-médico e ex-psicoterapeuta brasileiro de ascendência ucraniana, acusado de abusar sexualmente de seus pacientes adolescentes na clínica Instituto Paulista da Adolescência na cidade de São Paulo, tendo inclusive gravado cenas em vídeo para se comprometer mais tarde, que foram achadas num lixo por técnico de telefonia e denunciou as imagens. Foi preso e condenado a penas de 114 anos de prisão por atentado ao pudor e corrupção de menores.

Eugênio ChipkevitchEugênio Chipkevitch
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Eugênio Chipkevitch (?, Ucrânia, 26 de abril de 1954) é um ex-médico e ex-psicoterapeuta brasileiro de ascendência ucraniana, acusado de abusar sexualmente de seus pacientes adolescentes na clínica Instituto Paulista da Adolescência na cidade de São Paulo, tendo inclusive gravado cenas em vídeo para se comprometer mais tarde, que foram achadas num lixo por técnico de telefonia e denunciou as imagens. Foi preso e condenado a penas de 114 anos de prisão por atentado ao pudor e corrupção de menores.

Biografia
Infância e juventude

Eugênio Chipkevitch nasceu em 1954 na República Soviética da Ucrânia,que na época pertencia a União Soviética. De pais ucranianos, contrários ao regime soviético, fugiram do país. Após se tornar naturalizado brasileiro, Chipkevitch era um profissional respeitado na área médica e acadêmica.

Formação

Formou-se em 1978 na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), foi chefe do Serviço de Adolescentes do Hospital Infantil Darcy Vargas, na capital paulista, e membro de associações como a Society for Research on Adolescence (Sociedade para Pesquisa em Adolescência) dos Estados Unidos.

Universidades

Mencionado pela Universidade de Cambridge no ranking dos dois mil cientistas mais importantes do Século XX, com direito a verbete na respeitada publicação Who"s Who in Science and Engineering (Quem é Quem na Ciência e na Engenharia).

Introduziu no Brasil a especialidade médica conhecida como hebiatria (o tratamento dos adolescentes e de seus problemas).
[editar] No Instituto Paulista da Adolescência

Em sua clínica, o Instituto Paulista da Adolescência, constava o cadastro de cerca de dois mil clientes, que pagavam honorários acima da média para serem atendidos pelo médico conceituado. Seus livros eram adotados em diversas universidades brasileiras e estrangeiras.
[editar] Fitas de vídeo

Em 2002, um técnico de uma empresa telefônica que estava com outro ajudante no conserto da linha telefônica instalada no poste, estranhou ao ver um saco de lixo grande e de formato quadrado, ao lado do poste numa caçamba de entulho. Ao ver o que tinha dentro, encontrou várias fitas de vídeo no formato de filmadora portátil.

Decidiu que iria levar para casa para saber quais delas estavam em boa qualidade e descartar aquelas que não tivessem. Contou que tinham 35 fitas num saco de lixo. Ao assistir as fitas, ficou surpreso com um homem abusando de jovens. Ele repassou as duas fitas a Rede Globo e ao SBT e o restante para Polícia Civil nos dias seguintes.

Nas mais de 15 horas de gravações, das quais apenas uma pequena parte foi ao ar, apareceram cenas de abusos sexuais cometidos contra cerca de 40 vítimas " todos meninos, com idade entre 8 e 17 anos. O médico sedava os pacientes, sob o pretexto de aplicar-lhes vacina, depois os despia e os acomodava na maca. Enquanto estavam inconscientes, fazia-lhes carícias, pegava-os no colo, manipulava seus órgãos genitais.

Na noite de 20 de março de 2002 foram ao ar, no Programa do Ratinho, no SBT, imagens de Chipkevitch molestando sexualmente seus pacientes.

Quando as gravações foram ao ar, a identidade do médico ainda era desconhecida. Mas, a mãe de um dos pacientes de Chipkevitch assistiu ao programa, reconheceu de quem se tratava e na mesma noite apresentou queixa à polícia. No dia seguinte ao programa, o médico foi preso em casa. Começou então o trabalho policial de identificar as demais vítimas. O caso ganhou rapidamente grande repercussão na mídia.

Foram apreendidos computadores para se apurar se Chipkevitch divulgava pornografia infantil pela Internet. Mas nada nesse sentido foi provado, embora fotos de crianças nuas tenham sido encontradas em seu carro.

Até a prisão, estava prestes a lançar mais um, quando se tornaram conhecidos os fatos que o levariam a ser processado e condenado e a ter cassado seu registro de médico.

Chipkevitch, em sua defesa, alegou que as fitas de vídeo mostravam procedimentos clínicos que poderiam ser errôneamente interpretados como abusos sexuais. Confessou, no entanto, que era bissexual.

Fugindo aos padrões brasileiros, o processo tramitou rapidamente e já estava definitivamente concluído em 2004. O médico foi condenado em primeira instância a uma pena total de 124 anos de prisão em regime fechado mais multa por crimes de atentado violento ao pudor com violência presumida, por se tratar de vítimas impossibilitadas de defesa. A pena foi agravada pelo fato de ter usado sua posição de médico para cometer os crimes. Posteriormente, o Tribunal de Justiça reduziu a pena para 114 anos, mantendo o regime fechado. Ainda em desacordo com os padrões brasileiros, o médico está efetivamente cumprindo sua pena num presídio paulista.


MATÉRIA JORNALISTICA SOBRE O PSICOPATA:

Psicopatas Crueldade nas veias

O que a ciência ja descobriu sobre
o mais frio dos criminosos - o psicopata


Jerônimo Neto


Quadro: Os "criminosos natos" de Lombroso

A ciência pode um dia curar doenças como Alzheimer e aids, mas seria tolice imaginar um "remédio" para bandidos reincidentes. O crime não é um problema essencialmente médico " o que não significa que a pesquisa científica não tenha nada a dizer sobre ele. Nos últimos anos, foram registrados avanços consideráveis no estudo da mente criminosa. A genética vem desvendando interações complexas entre a natureza e o meio ambiente na formação de personalidades violentas; a psiquiatria tem refinado seus instrumentos de avaliação do distúrbio de comportamento anti-social, mais conhecido como psicopatia; e novas técnicas de mapeamento cerebral permitem descobrir diferenças entre o cérebro de uma pessoa ajustada e o de um psicopata. São progressos que, em alguma medida, podem, sim, auxiliar no combate ao crime.

A mente de ladrões e assassinos tem sido objeto de estudos médicos e biológicos há muito tempo " quase sempre com resultados decepcionantes. A busca de um tipo físico característico do criminoso, que orientou grande parte da ciência forense no século XIX, foi um fracasso completo. Não há como identificar um assassino ou um ladrão apenas pela configuração de seu crânio ou de suas feições faciais, como acreditava o criminalista italiano Cesare Lombroso (1835-1909). Muito influente em seu tempo " inclusive no Brasil ", a teoria de Lombroso atribuía o crime a um atavismo, uma recorrência de tendências primitivas que os seres humanos "normais" teriam superado no curso da evolução. Por esse raciocínio, os criminosos estariam, portanto, mais próximos dos animais do que o restante dos homens. E teriam marcas físicas diferenciadas (veja quadro). Se o formato das orelhas ou da mandíbula fosse mesmo indicador de comportamento criminoso, o trabalho da polícia seria bem mais fácil. Mas não é assim.

Os estudos científicos modernos têm concentrado esforços na análise de questões bem mais intangíveis, como a psicopatia, distúrbio psiquiátrico de diagnóstico complexo. O psicopata não é um deficiente mental e tampouco sofre de alucinações ou problemas de identidade, como pode ocorrer com as vítimas da esquizofrenia. É um sujeito, muitas vezes, com inteligência acima da média. Pode ainda ser simpático e sedutor " e usar essas qualidades para mentir e enganar os outros. Embora no plano intelectual entenda perfeitamente a diferença entre o certo e o errado, o psicopata não é dotado de emoções morais: não tem arrependimento, culpa, piedade nem vergonha. É incapaz de nutrir qualquer empatia pelo próximo. "Para um psicopata, atirar em uma pessoa e jogar fora um copo plástico são atos muito parecidos", diz o neurologista Ricardo de Oliveira-Souza, da Unirio. Oliveira-Souza e seu colega Jorge Moll " coordenador da Unidade de Neurociência Cognitiva e Comportamental da Rede Labs D'Or, no Rio de Janeiro, e pesquisador dos Institutos Nacionais de Saúde, nos Estados Unidos " têm feito mapeamentos do cérebro de psicopatas com técnicas de ressonância magnética de alta resolução. Em comparação com uma pessoa normal, o psicopata mostra menor atividade cerebral em uma série de áreas envolvidas no julgamento moral. As causas dessas diferenças, porém, ainda são desconhecidas. Supõe-se que um componente genético esteja envolvido. Quanto aos componentes sociais que determinam o surgimento da psicopatia, os cientistas consideram que a ocorrência de abuso infantil, por exemplo, pode ter influência no distúrbio. "Seja na forma de espancamento, seja na de estupro, o abuso é um fator de risco para a psicopatia, embora, por si só, não possa causá-la", afirma Oliveira-Souza.

Nem todos os psicopatas derivam para o crime. Mas a ausência de qualquer escrúpulo e a habilidade para manipular e enganar suas vítimas transformam os portadores do distúrbio em criminosos especialmente perigosos. É o caso do ex-motoboy Francisco de Assis Pereira, conhecido como "Maníaco do Parque". Condenado pelo estupro e morte de onze mulheres em 1998, ele costumava se apresentar a suas vítimas como caça-talentos de uma agência de modelos. Assassinos seriais como Assis Pereira constituem a variedade mais chocante da psicopatia, mas não a mais comum. O distúrbio tem uma incidência considerável também entre os crimes menos espetaculares. Ele afeta de 20% a 30% das populações carcerárias. Para a psiquiatra forense Hilda Morana, seria importante separar os portadores do distúrbio dos demais presos. Primeiro, porque não existe cura para a psicopatia, o que torna irrecuperáveis " e, conseqüentemente, mais perigosos " os criminosos do gênero. Depois, porque psicopatas são manipuladores inatos. "O risco de eles usarem os outros presos em seu benefício ou passarem a comandá-los é grande", afirma a psiquiatra.

E o que dizer dos 80% de criminosos não psicopatas que estão nas cadeias? São bandidos por natureza ou por influência do ambiente? Esse ainda é um tópico para discussões inflamadas, freqüentemente temperadas por algum componente ideológico. A esquerda prefere apontar causas sociais; a direita, motivações individuais. Um estudo realizado em 2002, na Nova Zelândia, com mais de 400 homens, aponta para relações bem mais complexas entre genética e ambiente na formação da personalidade violenta. A atividade de um gene específico, chamado MAOA, foi examinada. Em algumas pessoas, o gene é mais ativo do que em outras " cerca de 37% dos homens possuem o gene de baixa atividade. Em estudos com ratos, esse gene era determinante na agressividade. Nos homens, porém, revelou-se uma interação curiosa. Os meninos que foram abusados na infância, mas tinham o gene de alta atividade, em geral se tornaram adultos ordeiros. O mesmo aconteceu com os que tinham o gene de baixa atividade, mas não foram abusados na infância. Foi só entre os que apresentavam uma conjunção de duas circunstâncias desfavoráveis " gene de baixa atividade e agressões na infância " que o comportamento violento, incluindo crimes como estupro e assassinato, surgiu com maior freqüência. "No debate antigo, costumava-se opor a influência da natureza à da criação, como se uma ou outra sozinha fosse determinante", diz a psiquiatra Terrie Moffitt, uma das autoras do estudo. "Hoje sabemos que natureza e meio ambiente agem conjuntamente." Uma pode ser a dinamite e o outro, o fósforo.
  Web site: pt.wikipedia.org/wiki/Eugênio_Chipkevitch  Autor:   Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre - veja.abril.com.b


  Mais notícias da seção CRIMES SEXUAIS no caderno ARQUIVO POLICIAL
17/02/2011 - CRIMES SEXUAIS - Caso Denny Oliveira
O Caso Denny Oliveira refere-se a uma série de acusações de crimes contra a dignidade sexual movidas pela Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente e pelo Ministério Público de Pernambuco contra o radialista Denny Oliveira e outros integrantes do programa de auditório Muito Mais, da TV Jornal Recife. Os fatos ocorreram a partir de 2005, no Re...



Capa |  ARQUIVO POLICIAL  |  ARTIGOS DE OUTROS AUTORES  |  CASOS POLICIAIS MISTERIOSOS  |  CRIMINOSOS CRUEIS  |  DESTAQUES  |  DIREITO & JUSTIÇA  |  LIÇÕES DE VIDA  |  MEUS ARTIGOS
Busca em

  
2101 Notícias


MEUS ARTIGOS
 

DROGAS

 

O CRACK DO OIAPOQUE AO CHUÍ

 

SEGURANÇA PUBLICA

 

Desarmar o povo é dar segurança aos marginais

 

DIVERSOS

 

APENAS UMA CARTA DE GRATIDÃO

 

DIVERSOS

 

O PROIBIDO REXSPY

 

DIVERSOS

 

O defunto que morreu duas vezes

 

DROGAS

 

O PODER SOBRENATURAL DO CRACK

 

DIVERSOS

 

UMA COMPARAÇÃO MITOLOGICA ENTRE OS AMORES DE ARES O DEUS DA GUERRA E LAMPIÃO O REI DO CANGAÇO

 

CRIMES SEXUAIS

 

O "ESTUPRADO"


CASOS POLICIAIS MISTERIOSOS
 

DIVERSOS

 

Caso Carlinhos

 

HOMICIDIO

 

O Maniaco da Cruz

 

HOMICIDIO

 

Febrônio Índio do Brasil " O Filho da Luz

 

HOMICIDIO

 

o caso Andrei Chikatilo:

 

HOMICIDIO

 

O caso Ted Bundy:

 

DIVERSOS

 

Os casos de Charles Manson:

 

HOMICIDIO

 

Crimes eternamente insolúveis

 

HOMICIDIO

 

JACK O ESTRIPADOR (WHITECHAPPEL, LONDRES, INGLATERRA, 1888)


LIÇÕES DE VIDA
 

DIVERSOS

 

ABC da Cidadania

 

DIVERSOS

 

Professor saúda ABRAVIPRE e tradições libertárias do Ceará

 

DIVERSOS

 

Galinha Tonta

 

DIVERSOS

 

A morte de Josué de Castro no exílio


DESTAQUES
 

DIVERSOS

 

Meritíssimo

 

SEGURANÇA PUBLICA

 

Insegurança nossa de cada dia

 

JORNALISMO

 

85 anos da Independência: Ode ao Quatro de Outubro

 

DIVERSOS

 

Sustentabilidade que não é a Ambiental


DIREITO & JUSTIÇA
 

JUSTIÇA

 

O juiz, a imprensa, o mensalão

 

DIVERSOS

 

MEDIDAS PROTETIVAS DA LEI MARIA DA PENHA CONFERE CAPACIDADE POSTULATÓRIA À MULHER

 

DIVERSOS

 

O GIGANTE DESPERTOU E AGORA QUER ACESSO À JUSTIÇA

 

DIVERSOS

 

DIREITO PENAL E O TERROR DE ESTADO. EU VOU P"RÁ RUA, SIM!

 

DIVERSOS

 

Ex-senador Demóstenes Torres é denunciado por corrupção passiva pelo MP-GO

 

DIVERSOS

 

N O T A D E R E P Ú D I O


ARTIGOS DE OUTROS AUTORES
 

SEGURANÇA PUBLICA

 

CRIMES DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, DE CONSTITUIÇÃO DE MILÍCIA PRIVADA E DE ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA E PRISÃO TEMPORÁRIA : UMA LACUNA LEGAL

 

DIVERSOS

 

Peregrino, seu destino é caminhar

 

DIVERSOS

 

CRIME ORGANIZADO: NOVA LEI 12.850/13 E O PROBLEMA DA CONDUTA DOS AGENTES INFILTRADOS NO COMETIMENTO DE INFRAÇÕES PENAIS

 

DIVERSOS

 

As letras e a paz

 

DIVERSOS

 

O Advogado no universo jurídico

 

DIVERSOS

 

Presos e Esperança

 

DIVERSOS

 

A inesquecível Nova Acauan

 

DIVERSOS

 

Mídia será alvo das manifestações


CRIMINOSOS CRUEIS
 

DIVERSOS

 

Horror absoluto: o genocídio silencioso

 

HOMICIDIO

 

O perigo mora ao lado

 

DIVERSOS

 

Uma sociedade de matadores

 

HOMICIDIO

 

BELEZA MEDONHA

 

DIVERSOS

 

HITLER E A CRUZ JAÍNA OU SUÁSTICA

 

DIVERSOS

 

O MÉDIUM DO ANTICRISTO